Justiça Federal em Osasco condenou ator eleito deputado federal pelo PSL, a pagar multa de cerca de R$ 295 mil ao também deputado do PSOL por difamação e injúria na internet. Frota terá ainda de e picotar papel. Defesa vai recorrer.

A Justiça Federal em Osasco, na Grande São Paulo, condenou nesta segunda-feira (17) o ator Alexandre Frota, eleito deputado federal pelo PSL-SP, a multa de mais de R$ 295 mil por difamação e injúria por ter atribuído publicamente uma fala falsa sobre pedofilia a Jean Wyllys, também deputado federal, mas pelo PSOL-RJ. Frota também terá de prestar serviços à comunidade por dois anos como picotar papel no Fórum, segundo seu advogado.

Como a decisão é da primeira instância da Justiça, cabe recurso. Procurada nesta terça-feira (18) pelo G1, a defesa de Frota informou que irá recorrer da decisão.

"A sentença foge ao princípio da razoabilidade da Constituição. Uma postagem que não foi nem de autoria dele [Frota] e foi replicada no Facebook gerou uma pena de picotar papel e mais de R$ 290 mil em multa", falou o advogado de Frota, Cleber dos Santos Teixeira. "Isso fere a liberdade de expressão e a defesa vai usar seus meios para recorrer".

A reportagem não conseguiu localizar Wyllys ou a defesa do político para comentar a decisão judicial.