'Laudos de estabilidade indicavam claramente que não existia risco iminente na barragem, que a barragem estava estável', disse gerente-executivo. Tragédia da Vale deixou pelo menos 165 pessoas mortas e 155 ainda estão desaparecidas.

A Vale rebateu nesta terça-feira (12) as informações de que laudos indicavam que havia risco de rompimento na Barragem de Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. Em entrevista coletiva na sede da empresa, no Rio, executivos disseram que os relatórios não indicavam o risco iminente e a barragem estava "estável". Até esta terça (12), 165 corpos já haviam sido encontrados e 155 pessoas ainda estavam desaparecidas.

"Tínhamos laudos de estabilidade que indicavam claramente que não existia risco iminente na barragem, que a barragem estava estável. Não teve nenhum sintoma de problemas e não teve subida de nível, então, automaticamente, você não teve qualquer indicação de ação necessária", disse o gerente-executivo de Planejamento e Desenvolvimento de Ferrosos e Carvão, Lúcio Cavalli, que concedeu entrevista ao lado do diretor-executivo de Finanças e Relações com Investidores, Luciano Siani Pires.